É POSSÍVEL DOMINAR O MEDO OU ELIMINÁ-LO COMPLETAMENTE ?

O medo não pode ser completamente eliminado, não pode ser dominado, só pode ser compreendido. Compreensão é a palavra-chave aqui. E só a compreensão traz mudança, nada mais. Se você tentar dominar o seu medo, ele vai continuar reprimido, ele vai ficar dentro de você. Isso não vai ajudar, vai complicar as coisas. Se ele estiver vindo à tona, você pode reprimi-lo. Isso é domínio. Você pode reprimi-lo, e pode reprimi-lo tão profundamente que ele desaparece da sua consciência. Você nunca vai estar consciente dele, mas ele vai estar lá no porão e terá influência sobre você. Ele vai controlar você, vai manipular você, mas vai manipulá-lo de uma forma tão indireta que você não vai nem perceber. Mas o perigo ficou mais profundo. Agora você não pode nem mesmo compreendê-lo.

Portanto, o medo não tem de ser dominado. Não tem de ser eliminado. Ele não pode ser eliminado, porque o medo contém um tipo de energia e a energia não pode ser destruída. Você já viu que com medo você pode ficar com uma imensa energia? Assim como quando você tem raiva. Ambos são aspectos do mesmo fenômeno energético. A raiva é agressiva e o medo é não agressivo. O medo é a raiva num estado negativo; a raiva é o medo num estado positivo. Quando está com raiva, já observou quão poderoso pode se sentir? Quanta energia você tem? Você pode atirar longe uma grande pedra quando está com raiva; normalmente não poderia nem sequer tirá-la do lugar. Você se torna três, quatro vezes maior quando está com raiva. Você consegue certas coisas que não pode fazer sem raiva.

Ou, com medo, você pode correr tão rápido que até mesmo um atleta olímpico ficaria com inveja. O medo da energia, o medo é energia, e a energia não pode ser destruída. Nem um único pingo de energia pode ser eliminado da existência. Isso tem que ser lembrado a todo instante, caso contrário você vai se enganar. Você não pode destruir nada, apenas mudar sua forma. Você não pode destruir uma pedrinha; um pequeno grão de areia não pode ser destruído, ele só pode mudar de forma. Você não pode destruir uma gota d’água. Você pode transformá-la em gelo, fazê-la evaporar, mas ela continuará existindo. Continuará em algum lugar, não pode deixar de existir.

Você não pode destruir o medo, também. E as pessoas têm tentado fazer isso ao longo das eras. Têm tentando destruir o medo, tentado destruir a raiva, tentado destruir a sexualidade, tentado destruir a ganância, isso e aquilo. O mundo inteiro tem se esforçado continuamente para destruir as suas energias, e qual é o resultado? O ser humano se tornou uma confusão. Nada é destruído, tudo ainda está lá; só que as coisas ficaram confusas. Não há necessidade de tentar destruir nada; primeiro, porque nada pode ser destruído.

Então, o que se pode fazer? Você tem que entender o medo. O que é o medo? Como ele surgiu? De onde ele vem? Qual é a sua mensagem? Analise-o e sem nenhum julgamento; só então você vai entender. Se você já tem uma ideia preconcebida de que o medo é errado, de que ele não deveria existir – “Eu não deveria ter medo” -, então não vai conseguir entendê-lo. Como pode enfrentar o medo? Como pode olhar nos olhos do medo se já decidiu que ele é seu inimigo? Ninguém olha nos olhos do inimigo. Se você pensa que uma coisa é errada, vai tentar contorná-la, evitá-la, não vê-la. Você não vai tentar enfrentá-la, mas ela permanecerá. Isso não vai adiantar.

Primeiro deixe de lado toda condenação, todo julgamento, toda avaliação. O medo é uma realidade. Ele tem que ser confrontado, tem de ser entendido. E somente através da compreensão ele pode ser transformado. Na verdade, ele é transformado através da compreensão. Não há necessidade de fazer nenhuma outra coisa; a compreensão transforma.

O que é o medo? Primeiro, o medo sempre gira em torno de algum desejo. Você quer ficar famoso, ser a pessoa mais famosa do mundo, então surge o medo. E se não conseguir? Vem o medo. Agora o medo vem como um subproduto do desejo. Você quer se tornar a pessoa mais rica do mundo. E se não conseguir? Você começa a tremer; o medo vem. Você deseja possuir uma mulher e está com medo de que amanhã possa não ser capaz de mantê-la, ela pode trocá-lo por outro. Ela ainda está viva, ela pode ir embora. Apenas uma mulher morta não vai poder ir embora, e essa mulher ainda está viva. Você pode possuir um cadáver, então não há medo, o cadáver vai estar ao seu lado. Você pode possuir móveis, então não há medo. Mas, quando você tenta possuir um ser humano, o medo vem. Quem sabe, ontem ela não era sua, hoje ela é sua… amanhã, vai saber? Amanhã ela poderá ser de outra pessoa. O medo surge. O medo decorre do desejo de possuir é um subproduto; você quer possuir, daí o medo.

Se você não desejar possuir, então não há medo. Se não tem o desejo de ser isto ou aquilo no futuro, então não há medo. Se não quer ir para o céu, então não há medo, então o sacerdote não pode deixá-lo com medo. Se não quiser ir a nenhum lugar, então ninguém pode deixá-lo com medo.

Se você começar a viver o momento, o medo desaparece. O medo vem por causa do desejo. Então, basicamente, o desejo cria o medo. Olhe dentro dele. Sempre que houver medo, veja de onde ele está vindo, que desejo o está causando, e depois veja a futilidade desse medo. Como você pode possuir uma mulher ou um homem? É uma bobagem, uma ideia tão descabida! Apenas coisas podem ser possuídas, não as pessoas.
Uma pessoa é uma liberdade. Uma pessoa é bela por causa da liberdade. O pássaro é bonito voando no céu. Aprisionado ele não é mais o mesmo pássaro, lembre-se. Parece que é, mas não é mais o mesmo pássaro. Onde está o céu? Onde está o sol, onde estão aqueles ventos, onde estão aquelas nuvens? Onde está aquela liberdade do voo? Tudo isso desapareceu. Não é o mesmo pássaro. Você ama uma mulher porque ela é livre. Então você a aprisiona. Vocês vão ao cartório e se casam, e você faz uma bela gaiola em torno dela, talvez de ouro, cravejada de diamantes, mas ela não é mais a mesma mulher. E agora vem o medo. Você está com medo, com medo porque a mulher pode não gostar dessa gaiola. Ela pode ansiar pela liberdade novamente. E a liberdade é um valor supremo, não se pode abrir mão dela.

O ser humano consiste em liberdade, a consciência consiste em liberdade. Então, mais cedo ou mais tarde, a mulher vai começar a se sentir entediada, farta. Ela vai começar a olhar para outros homens. Você fica com medo. Seu medo vem à tona porque você quer possuir. Mas, para começo de conversa, por que você quer possuir? Não seja possessivo e não haverá medo. E quando não há medo, grande parte da energia que está envolvida e presa, trancafiada no medo, fica à disposição.

E essa energia pode se tornar a sua criatividade. Ela pode se tornar uma dança, uma celebração. Você está com medo de morrer? Olhe para o seu ser, mergulhe dentro dele. Se você analisar a vida, conseguirá saber o que é a morte. Quando entender o que é a morte, só então será capaz de entender o que é a vida. Elas são orgânicos. Normalmente, por medo, criamos uma divisão. Nós achamos que a vida é boa e a morte é ruim. Achamos que a vida tem que ser desejada e a morte precisa ser evitada. Achamos que de alguma forma temos de nos proteger contra a morte. Essa ideia absurda cria um sofrimento sem fim na nossa vida, porque uma pessoa que se protege contra a morte é incapaz de viver. A pessoa fica com medo de expirar, então não consegue inspirar e fica sufocada.

Então ela simplesmente se arrasta; a vida dela não é mais um fluxo, a vida dela não é mais um rio. Se realmente quer viver, você tem que estar pronto para morrer. Quem tem medo da morte em você? A vida tem medo da morte? Não é possível. Como a vida pode ter medo do seu próprio processo integral? Outra coisa tem medo em você. O ego tem medo em você. O ego tem medo de morrer, por isso tem medo de viver também.
O medo surge porque nosso ego quer evitar certas coisas e nos apegar a outras coisas. Você vai ter que olhar para elas e, fazendo isso, vai começar a mudar as coisas. Então, por favor, não pergunte como o medo pode ser dominado ou destruído. Ele não pode ser eliminado, não pode ser dominado e não pode ser destruído, só pode ser compreendido. Deixe que a compreensão seja sua única lei.

Osho – Livro Medo Entenda e Aceite as Inseguranças da Vida

42663181_2115688215350151_6942975472360276098_n